AppleEmpresasSmartphones

E agora, Apple? Consumidores estão “enjoando” do iPhone, sugere pesquisa

Dados recentes compartilhados pela empresa de pesquisa Consumer Intelligence Research Partners sugerem que o consumidor norte-americano está “enjoando” do iPhone.

Os números mostram que as vendas nos EUA estão começando a atingir um ponto de estabilização, com um dos menores crescimentos já registrados no primeiro trimestre de 2019.

A pesquisa mostrou que em março desse ano, na terra do tio Sam haviam 193 milhões de usuários do smartphone da Apple. Se o número estiver, de fato, correto, isso representaria uma margem de crescimento ínfima de 2%, algo muito menor quando comparado aos 12% do mesmo período no ano passado.

Como a Apple parou de divulgar os números de vendas em seus eventos fiscais, ficou mais difícil saber o quanto a venda do iPhone caiu, mas alguns analistas estimam que a queda possa se aproximar dos 20% a 30% ao ano.

A maçã tem tentado compensar a queda na popularidade do iPhone com preço mais altos e a venda de serviços, porém, investidores não estão certos de que isso será o suficiente para compensar a queda nas vendas nos EUA, terra natal e principal mercado da Apple.

Resta saber que a chegada do Apple News Plus, Apple Card e Apple TV Plus/Channels serão capazes de contornar a situação – ainda mais agora, que o preço dos iPhones poderá ficar ainda mais caro por causa da barreira tributária de Trump.

Você acredita que o “hype” pelo iPhone está morrendo? Compartilhe sua opinião no espaço abaixo destinado a comentários.

Etiquetas

Fernando Corrêa

Amante da tecnologia, adora ficar atrás da tela editando e criando artigos, amo tocar bateria e toco em uma igreja, adoro jogar futebol e amo animais tanto que tenho 3 gatos em casa e dois cachorros. :)

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Produzir um conteúdo de qualidade requer recursos. A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo. Para continuar navegando, por favor DESABILITE o seu bloqueador de anúncios.