Tecnologia

Startup dos EUA acusa Huawei de obter sua tecnologia de forma inadequada

A CNEX, da Califórnia, está desenvolvendo a tecnologia para melhorar o desempenho de drives em centros de dados

São Paulo – Uma startup dos Estados Unidos está acusando a fornecedora chinesa de equipamentos de telecomunicação Huawei de recrutar um professor universitário chinês, que trabalha em um projeto de pesquisa, para acessar a tecnologia da startup de forma inadequada, segundo documentos judiciais apresentados na semana passada.

A CNEX, da Califórnia, está desenvolvendo a tecnologia para melhorar o desempenho de drives em centros de dados e tem estado em uma disputa com a Huawei desde 2017. Em um novo conjunto de documentos arquivados no tribunal federal no Texas na semana passada, a CNEX alegou que Bo Mao, professor da Universidade de Xiamen, pediu uma das placas de circuito da empresa como parte de um projeto de pesquisa.

A empresa alega que exigiu que Mao assinasse uma “obrigação estrita de não divulgação” sobre a placa de circuito. Mas a CNEX alegou que, sem seu conhecimento, a universidade estava trabalhando com a Huawei e alegou que depois de enviar a placa ao professor, detalhes técnicos sobre seus produtos acabaram nas mãos da Huawei.

“A Huawei pegou as informações secretas de propriedade da CNEX e as compartilhou com pessoas que desenvolvem os controladores da Huawei, em violação das representações feitas à CNEX e das restrições impostas à distribuição das informações técnicas da CNEX”, afirmou a startup no documento.

Etiquetas

Fernando Corrêa

Amante da tecnologia, adora ficar atrás da tela editando e criando artigos, amo tocar bateria e toco em uma igreja, adoro jogar futebol e amo animais tanto que tenho 3 gatos em casa e dois cachorros. :)

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Produzir um conteúdo de qualidade requer recursos. A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo. Para continuar navegando, por favor DESABILITE o seu bloqueador de anúncios.