GoogleJogos

Tudo sobre o Stadia, plataforma de jogos em nuvem da Google

E o Project Stream da Google está saindo da sua fase de testes e prestes a se tornar um produto comercial. Com isso, ele é renomeado para Stadia, oficializado hoje (19) em evento da gigante de buscas nos Estados Unidos.

A companhia chegou chutando a porta para quebrar o tabu de que não seria capaz de entregar uma performance de console aos jogadores, entregando que individualmente é capaz de fornecer mais de 10 teraflops de processamento por segundo nas suas GPUS para os jogadores. Como comparativo, mostrou que mesmo o Xbox One X da Microsoft só chega a 6 Tflops/s.

Além disso, ainda com Assasins Creed: Odissey, mostrou a multi-conectividade que será possível com o serviço. Você vai poder começar o seu jogo no computador, pausar e continuar de onde estava em um tablet, e então concluir no seu celular, tudo de forma muito rápida.

Haverá uma forte integração com o YouTube por duas vias: será possível conferir um gameplay na plataforma de vídeos e através de um botão você acessar instantaneamente o jogo no seu navegador ou outro dispositivo aonde estiver. A Google informa que esse processo, pasme, não deve levar mais do que cinco segundos.

LEIA TAMBÉM:

Já quem estiver jogando no Stadia poderá compartilhar um trecho do gameplay ou a jogatina ao vivo no YouTube através de um botão de um controle proprietário que a companhia irá lançar. Além desse acesso personalizado, ele também virá com um botão para a Assistente, que ativará o microfone do produto, e poderá ser consultada – sem que você saia do game – para ajudar com dicas dos títulos disponíveis.

Sobre o controle ele precisará estar conectado à mesma rede wi-fi que a do aparelho utilizado para o Stadia. A empresa promete ainda um reconhecimento inteligente que poupará o usuário de configurações adicionais.

Quando o assunto são os títulos que estarão disponíveis no serviço, já sabemos que o jogo da Ubisoft e também Doom Eternal são alguns dos confirmados. Esse último, inclusive, estará disponível em ultraHD, HDR e a 60 FPS.

No geral é essa a configuração máxima que a gigante de buscas pretende entregar com o serviço inicialmente. Ela acredita que no futuro o Stadia dará suporte também ao 8K.

Com uma conferência muito voltada a abrir as portas para os desenvolvedores, ela também anunciou que sua plataforma de desenvolvimento já é compatível com duas das maiores engines do mercado: Unreal Engine 4 e Unity. Além disso, criou um site para que quem ainda não se envolveu com a iniciativa possa obter informações sobre como integrar seus jogos ao serviço, mesmo que estejamos falando de indies.

O Stadia também abre suas portas para os outros consoles: a Google trabalhará com uma política de permissão de cross-play bastante ampla, mas para a iniciativa dar certo precisará ganhar adesão de suas novas concorrentes, como Microsoft, Sony, Nintendo e mesmo a Steam que pode se sentir ameaçada com essa novidade.

Como todo o processamento ocorre em nuvem, é sempre válido reforçar que o Stadia tende a democratizar o acesso a jogos modernos, principalmente se grandes parcerias forem fechadas com grandes estúdios. Afinal, dispositivos simples, mesmo que não sejam computadores, teriam acesso a títulos robustos e bem acabados, com um investimento que esbarraria unicamente na assinatura do serviço.

Também por ser um serviço de nuvem, a gigante de buscas reafirma que o Stadia é seguro e blindado contra trapaceiros e hackers.

Controles parentais estarão disponíveis permitindo que os pais configurem que jogos, quando e onde podem ser jogados.

Encerrando, para além do serviço em si e do controle proprietário, a Google anunciou o Stadia Games and Entertainment, seu estúdio first-party para o desenvolvimento de títulos possivelmente exclusivos. Porém, não antecipou nenhum deles para o público.

O Estadia estará disponível ainda em 2019, mas em regiões selecionadas como os Estados Unidos, Canadá, Reino Unido e Europa. Preços do serviço também não foram divulgados, mas sabemos que o Chrome corre para estar completamente lapidado em seu lançamento comercial, com a compatibilidade de controles de terceiros, por exemplo.

Sendo assim, não apenas o mercado de consoles ganha um concorrente de peso, mas também serviços que já apostavam em um modelo similar. É o caso do Samsung Gamefly, e também do GeForce Now.

Nos próximos meses deveremos conhecer com mais profundidade essa grande empreitada da companhia, mas uma coisa é certa desde já: com toda a responsabilidade de um bom gameplay ficando à cargo da banda larga do usuário, é bom já ir preparando ou melhorando a sua rede para uma experiência positiva quando, e se, o serviço chegar por aqui.

E você, o que achou do Google Stadia? Conte para a gente nos comentários!

Etiquetas

Fernando Corrêa

Amante da tecnologia, adora ficar atrás da tela editando e criando artigos, amo tocar bateria e toco em uma igreja, adoro jogar futebol e amo animais tanto que tenho 3 gatos em casa e dois cachorros. :)

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Produzir um conteúdo de qualidade requer recursos. A publicidade é uma fonte importante de financiamento do nosso conteúdo. Para continuar navegando, por favor DESABILITE o seu bloqueador de anúncios.